Google+ Followers

07 janeiro 2013

Curando as decepções




Quem nunca se decepcionou, não é verdade? Quem nunca não se desiludiu na vida? Seja com alguém, com alguma situação, com algum sonho? Felizmente ou não, tal experiência, faz parte de nossa vida como seres físicos neste mundo e certamente, compõe a vida em outros mundos e dimensões também.

Em minha concepção, iremos enfrentar tal desafio de lidar com nossas frustrações em relação às coisas por muito tempo ainda e isso pode ser positivo, se visto de um ângulo diferente.

Muita gente pode pensar: É ruim se desiludir, dói, fere, marca e deixa a gente fechado para a vida! Bom, este, infelizmente é o reflexo da maioria porque não fomos ensinados a lidar com esse tipo de situação, antes, fomos ensinados a nos defender de tudo e de todos usando o velho padrão do “medo”. O medo nos fecha, nos aprisiona e nos impede de ver e reconhecer em nós as nossas potencialidades, potencialidades essas que são extremamente necessárias diante de desilusões.

Eu sei que uma desilusão nos marca, pode doer e levar anos para cicatrizar e acabamos até levando ferimentos disso as nossas próximas experiências e muitas vezes, estragando o Novo, uma vez que escolhemos dar as costas e não enfrentá-la cara a cara.

Bom, é isso que vamos fazer hoje, meu amiguinho! Vixe, já vi a sua cara de negação dizendo: Não, Vinícius, deixa isso pra lá, faz parte do passado, é melhor esquecer! Hum, você gosta e prefere dizer essas coisas porque tem medo de encarar a ferida que ainda está aberta e que com certeza ainda machuca você e todas as suas relações, mas, se você quer ser feliz, atrair boas coisas e verdadeiramente ser um ímã de coisas positivas, então, vai precisar se limpar de toda essa bagunça emocional, para que então, você possa caminhar num destino diferente.

Vamos lá, a desilusão ou decepção nada mais é do que: Eu quis muito de uma pessoa, de uma coisa ou situação e não tive, então, decidi me sentir decepcionado e na minha loucura mental, escolhi (veja bem, escolhi), me afundar no sentimento de que não deu certo e na maioria das vezes, culpar o agente externo, seja ele qual for, acertei? Ah, eu sei!

E muitas vezes, o culpado pode ser até mesmo Deus, olha só a que ponto nossa loucura chega heim! Pois é, na verdade, esperamos, inventamos o que seria “perfeito”, ideal, o tão sonhado relacionamento, a tão sonhada vida financeira, emprego, família e outras coisas mais, no entanto, quando o real se mostra diferente, às vezes até completamente diferente, oposto, aí, é hora do show e quem faz esse show? Você.

E por que você faz show? Porque o que você sonhou, imaginou e idealizou, não aconteceu, é ou não é? _ Ah, mas “deveria” acontecer, afinal, não é a lei que diz que eu tenho o que desejo? _Hahahahahah... você ainda está nisso? A lei nos diz que temos o que vibramos e não o que queremos. E outra, será mesmo que o você deseja está dentro das possibilidades do Universo? _ O quê você disse Vinícius?

Quer dizer que nem tudo eu posso ter? _ A resposta é “não”.
Se o que você quer exige uma postura, comportamento ou atitude de outra pessoa, então pode esquecer viu? O livre arbítrio não é infligido por nenhuma força no Universo! _ Ah, mas eu queria tanto que ele (a) fosse daquele jeito sabe, que me amasse, me respeitasse e blá blá blá... _ Está certo, você queria, beleza! Mas, não tem! E vai fazer o quê com isso? Se afundar ou procurar o que possa te satisfazer?

E aí, seu sonho não se realizou, as coisas não foram como você queria que fossem, a vida não deu mesmo o que você achou que ela deveria te dar e você vai dar uma de menininho (a) ferido, carente, machucado, mimado e bobo afundando-se no sentimento ruim de vazio ou vai erguer a cabeça, feito gente madura e honesta consigo mesmo e dizer: Se não foi do jeito que eu queria, então, Eu e somente eu, vou reconstruir tudo, sob uma nova ótica, uma nova maneira de interpretar a vida, afinal, a vida não está aqui para ceder aos meus caprichos, aos meus mimos infantis, antes, ela deseja e espera que eu traga para fora minhas potencialidades e faça por mim, o que eu erroneamente esperei que os outros e as coisas fizessem.

Olha a diferença! Viu como é bem distinta uma atitude da outra? Pois é, o mimado é o que se decepciona, mas o maduro sabe que não deve esperar nada de ninguém e nem do mundo, ele é quem deve fazer tudo por si, ele é quem deve se dar tudo o que o mimado espera que os outros lhe deem. E quer um conselho? Conselho bom viu? Se algo em sua vida não está legal ou não é como você julga que merece, (mas um julgar sensato, não mimado) então, por que você não muda? Mude, transforme, faça você mesmo escolhas que condigam com o que você deseja, sem cobrar de nada e de ninguém o que não podem dar.

Mude, é mais fácil do que tentar forçar uma situação a ser o que não é e assim, você evitará as dolorosas desilusões e decepções.

Abra-se ao Novo, está aí, o Segredo para evitar decepções!!!!

Seja Feliz,
Vinícius Francis

Fonte:   http://os-filhos-da-alva.blogspot.com.br/

Nenhum comentário: